Perguntas Frequentes - Reciclagem

a a a

O que é a Política dos 3 R’s?

A política dos 3 R'S consiste num conjunto de medidas de ação adotadas em 1992, por ocasião de Conferência da Terra realizada no Rio de Janeiro bem como no 5º Programa Europeu para o Ambiente e Desenvolvimento de 1993.
 
Os 3 R’s são sinónimo de Redução, Reutilização e Reciclagem.
 
Em primeiro lugar é necessário reduzir a quantidade de resíduos produzidos, de modo a minimizar os impactos sobre o ambiente, sendo a diminuição da quantidade de resíduos o primeiro passo, e até o mais importante.
 
Com o objetivo de prolongar a longevidade dos materiais e evitar a produção de resíduos, é possível reutilizar os resíduos, dado que alguns deles foram concebidos para serem utilizados diversas vezes. Reutilizar consiste em tornar a utilizar aquilo que era considerado lixo, evitando a sua eliminação.
 
Quando já não existe outra opção, então deverá proceder-se à separação dos resíduos para reciclagem. Reciclar significa transformar os resíduos, que podem voltar à forma de origem ou então podem ser convertidos noutra substância, de modo a serem reintroduzidas no mercado. Ao reciclar economiza-se energia, matérias-primas e reduz-se a quantidade de resíduos a serem enviados para aterro sanitário ou incineração.
 
O que fazer?
 
Redução:
 comprar apenas o essencial;
 preferir produtos familiares, não embalados, recarregáveis e recicláveis;
 evitar a utilização de sacos de plástico fornecidos nas áreas comerciais

Reutilização:
 converter embalagens em brinquedos ou em elementos decorativos;
 reaproveitar frascos de vidro ou garrafas de plástico;
 transformar resíduos em peças de arte.

Reciclagem:
 Separar os resíduos (vidro, papel e cartão, plástico, metal e pilhas) nos ecopontos 

Qual o encaminhamento dado aos materiais que separo e coloco no Ecoponto? É verdade que, após a colocação no ecoponto são todos misturados na viatura de recolha? 

Uma dúvida muito comum colocada pelos munícipes é a questão da mistura dos materiais. Muitas vezes, há a ideia errada que o papel/cartão e as embalagens são todos misturados na viatura que as recolhe. Há também a ideia de que muitas vezes, os materiais recicláveis são misturados com os resíduos indiferenciados, vulgo "lixo”, o que também é uma ideia totalmente errada. Tentamos por isso desmistificar esta ideia, conforme a explicação que se segue:
 
A recolha dos materiais recicláveis colocados nos ecopontos existentes na via pública é feita com viaturas apropriadas (de grua, normalmente) e que não estão, de todo, adaptadas à recolha de contentores para resíduos indiferenciados (os comuns contentores verdes de 4 rodas existentes nas nossas ruas para a deposição do "lixo” indiferenciado; neste caso, a recolha é feita com o recurso a viaturas de basculamento e compactação traseira).
 
Caso os ecopontos sejam do tipo enterrado (vulgares "molocks”), a recolha dos materiais é feita com viaturas também de grua; efetivamente, neste caso a recolha tem semelhanças com os molocks para os "lixos” indiferenciados, mas somente no tipo de viatura.
 
Todos os materiais recicláveis recolhidos quer através dos ecopontos de via pública, quer através dos molocks-ecopontos são encaminhados para o Centro de Triagem da Lipor, em viaturas e circuitos específicos, não havendo qualquer mistura de materiais (exceto aquela que, indevidamente por falta de conhecimento ou desleixo, é feita pelos munícipes);
 
Todas as cargas provenientes dos ecopontos são inspecionadas, uma vez que o Centro de Triagem da Lipor se encontra certificado, quer pelas normas de Qualidade, Ambiente e Segurança.
 
No caso dos "lixos” indiferenciados que são encaminhados para a Lipor II (Central Valorização Energética), a situação é em tudo semelhante ao descrito para o Centro de Triagem, uma vez que a unidade está também certificada pelas normas de Qualidade, Ambiente e Segurança.
 
Assim, assegurarmos que os materiais recicláveis que são depositados nos ecopontos seguem o destino adequado (Centro de Triagem da Lipor), não sendo misturados, numa mesma viatura, com os resíduos indiferenciados; eventualmente, e por uma questão de otimização, existem viaturas que recolhem 2 fluxos de recicláveis (ex: papel e embalagens), mas mesmo nesta situação, os materiais seguem em compartimentos distintos, uma vez que a descarga no Centro de Triagem é feita em locais separados.
Por último, a deposição dos resíduos recicláveis deve ser feita sempre nos ecopontos (ou utilizando circuitos específicos, tipo porta-a-porta), pois caso os resíduos, ainda que devidamente separados, sejam colocados junto dos contentores (muitas vezes ao lado dos contentores para "lixos” indiferenciados), efetivamente poderão ser recolhidos como "lixo” comum, pois, conforme referido anteriormente, o tipo de viatura utilizada (grua) não permite recolher os resíduos que se encontrem fora dos ecopontos.

Que posso fazer para participar na Reciclagem? 

A participação ativa e empenhada dos Consumidores no processo de reciclagem começa em casa com a separação das embalagens usadas por tipo de material: plástico e metal, papel e cartão, vidro e madeira. Os resíduos de embalagens devem então ser colocados nos equipamentos apropriados disponibilizados pelas Autarquias para o efeito. Em Portugal têm vindo a ser progressivamente implantados vários equipamentos que permitem a participação dos consumidores na recolha seletiva, tais como: ecopontos, ecocentros e cestos ou sacos específicos para recolha porta-a-porta.

 

Que objetos resultam da reciclagem de embalagens usadas? 

A reciclagem de embalagens usadas consiste no reprocessamento e na incorporação dos materiais dessas embalagens na produção de novos objetos, num ciclo praticamente interminável, com ou sem adição de matéria-prima virgem.
 
Através da reciclagem valorizamos os materiais de embalagem (os quais de outra forma teriam um ciclo de vida mais reduzido) e damos origem a diversos objetos que usamos todos os dias: paletes de transporte, revestimentos e placas para construção civil e bricolage, peças de vestuário, fibras para enchimento de acolchoados, lingotes de metal de alta qualidade, peças para eletrodomésticos de uso comum (como esquentadores e fogões), novas garrafas e boiões, novas embalagens, livros, jornais, papel de escrita, cartão liso ou canelado de qualidade, papel higiénico, mobiliário de jardim, vasos, tubos de escoamento, caixas de cassetes, aglomerados de madeira para uso no fabrico de mobiliário, entre muitas outras coisas. 
 

Como posso facilitar a minha participação em prol do Ambiente? 

Utilize dois caixotes para os seus resíduos domésticos: um para os resíduos orgânicos (restos de comida) e outro para as embalagens de plástico e metal. As embalagens de vidro, pelo seu maior volume, podem ser armazenadas num outro local da casa, por exemplo numa varanda, despensa ou arrecadação. O papel e o cartão usados podem ser armazenados em qualquer divisão, numa caixa de cartão, por exemplo, dado não provocarem maus cheiros. Deve espalmar as embalagens de papel e cartão, a fim de reduzir o seu volume, permitindo aumentar a capacidade de armazenamento em casa e assim reduzir o número de deslocações ao Ecoponto. Sempre que possível, escorra todo o conteúdo das embalagens e espalme-as, de forma a ocuparem menos espaço. Se achar necessário pode passar as embalagens por água, para evitar maus cheiros. As embalagens de madeira devem também ser separadas, embora só possam ser depositadas nos ecocentros.

Como posso proceder para separar as minhas embalagens usadas? 

A separação doméstica das embalagens usadas por tipo de material (metal e plástico, papel/cartão, vidro e madeira) é o primeiro passo para a sua reciclagem. Para uma separação correta dos resíduos de embalagens siga as indicações fornecidas pela sua Autarquia, disponíveis nos equipamentos de recolha ou noutros suportes de informação. Pode ainda consultar as dicas de deposição para os diferentes materiais e outras informações úteis aqui.

 

Que acontece às embalagens usadas que depositamos nos ecopontos e noutros equipamentos para recolha seletiva?

Depois de recolhidas, as embalagens usadas são transportadas pelas Autarquias para uma Estação de Triagem, onde são submetidas a uma separação ainda mais rigorosa por tipo de material. Por exemplo, os metais são separados em ferrosos e não ferrosos; os plásticos em PVC, PET, PEAD, PEBD, PP, PS, entre outros. A triagem confere aos resíduos a homogeneidade e qualidade necessárias à sua reciclagem. Depois deste processo de seleção, os resíduos de embalagens são enfardados por tipo de material e reencaminhados através da Sociedade Ponto Verde, para empresas que procedem à sua reciclagem.


Quais são as vantagens da Reciclagem?  

Reciclar embalagens usadas traz diversas vantagens quer ambientais quer económicas:
 
 Economia de Energia;
 Poupança de matérias-primas e preservação de recursos naturais;
 Redução da quantidade de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) que vão para aterros sanitários, prolongando o tempo de vida útil destas infraestruturas. 
 
 

Não encontra resposta às suas questões? Contacte-nos!

voltar
Locais de deposição
Encontre o local mais perto de si para depositar seus resíduos.
Ecopontos
Ecocentros