A Estratégia de Valorização Orgânica da LIPOR

a a a

A Valorização Orgânica, através da Compostagem dos resíduos constitui uma forma de valorização de grande importância nas políticas de gestão de resíduos sólidos, sendo uma das principais linhas de orientação, referidas pelo PERSU – Plano Estratégico de Resíduos Sólidos Urbanos e na estratégia nacional para a redução de RUB destinados aos aterros. Promover a valorização de todas as componentes dos resíduos, nomeadamente a orgânica, é pois um objetivo prioritário da LIPOR.

A Compostagem, tem sido, desde a criação da LIPOR, em 1982, uma das principais componentes da política de gestão integrada de resíduos sólidos, sendo efetuado o aproveitamento dos resíduos biodegradáveis para produção de Composto.

A antiga Central de Compostagem da LIPOR, inaugurada em 1966, assegurou, durante mais de 30 anos de atividade, a valorização da fração orgânica presente nos RSU, processando diariamente mais de 200 toneladas de resíduos indiferenciados. O processo de compostagem era efetuado a céu aberto, através de pilhas com revolvimento mecânico para garantir o seu arejamento.

Esta central de compostagem foi encerrada em Agosto de 2001, tendo a LIPOR iniciado a construção de uma moderna Central de Compostagem em 2002.

No caso do Sistema LIPOR, a valorização orgânica, é assegurada através de uma instalação de compostagem com capacidade para tratar 60.000ton/ano de resíduos orgânicos, tendo associada a implementação de circuitos de remoção da fração orgânica junto de grandes produtores (restauração, grandes superfícies, mercados), nas zonas de recolha seletiva porta-a-porta (remoção da fração orgânica dos resíduos domésticos), diferentes esquemas de recolha seletiva de resíduos verdes, e complementada por iniciativas locais de compostagem caseira (projetos "Horta da Formiga, Horta à Porta e Horta na Escola”).

A qualidade, quer na seleção criteriosa da matéria orgânica a compostar, quer ao nível do composto produzido, assume particular importância, sendo um aspeto fundamental para a viabilidade e sucesso de todo o projeto.

A aplicação da matéria orgânica no solo traduz-se em importantes benefícios, nomeadamente pela melhoria das características do terreno (porosidade, capacidade de retenção da água) e como agente de prevenção da degradação dos solos, contribuindo, de uma forma eficaz, para a minimização da erosão, compactação, salinização e desertificação desses espaços.

Valorização Orgânica

Anterior
Seguinte
voltar
Locais de deposição
Encontre o local mais perto de si para depositar seus resíduos.
Ecopontos
Ecocentros