Há 7 dias

Um resíduo que vale ouro

Os resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) possuem na sua composição inúmeros materiais valiosos, extraídos de zona de conflito e com elevada probabilidade de deixarem de estar disponíveis num futuro próximo, por outro lado, possuem elevada capacidade de poluírem o meio ambiente. Estes fatores elevam os níveis de responsabilidade necessários na gestão deste fluxo.

A Lipor desde 2006, cumprindo a legislação em vigor, iniciou a gestão deste fluxo, processando cerca 200 toneladas. Esta gestão, ao longo do tempo, foi sendo otimizada, garantindo a resposta adequada ao desafio que nos era colocado, quer pelo aumento do material rececionado (1665,60 toneladas em 2019), quer pela complexidade deste processo, uma vez que as famílias de materiais resultantes desta gestão foram aumentando.

O processo de gestão deste fluxo inicia-se nos Ecocentros, onde uma caixa preparada para o efeito, é disponibilizada para receber o material. O procedimento de receção está em fase de renovação, com a implementação do projeto ESTRAEE, que entre outros objetivos permitiu desenvolver uma caixa para receção dos REEE, cumprindo com todos os requisitos legais, e ainda permitindo a separação de equipamentos com potencial de reparação, que terão um encaminhamento diferenciado dos restantes. Como passo seguinte, todos os equipamentos são transportados para a Plataforma de gestão de fluxos valorizáveis e são alvo de um processo de triagem, onde separamos o fluxo de entrada em diferentes famílias (Grandes Eletrodomésticos, Equipamentos Frio, CRT, TV planos, Ar Condicionado, IT e Pequenos Eletrodomésticos). Este processo é feito de forma manual. O material depois de consolidado é expedido para diferentes retomadores, que garantirão que o desmantelamento dos equipamentos ocorre de forma controlada e com a garantia das melhores práticas.

Considerando o posicionamento na cadeia de valor deste fluxo, e considerando o panorama da área de influência da Lipor e até mesmo mundial, onde são produzidos, aproximadamente 50 milhões de toneladas/ano de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, e onde se nada for feito, a quantidade de resíduos irá mais do que duplicar até 2050. A LIPOR em parceria com a ERP-Portugal, junta à gestão operacional deste resíduo uma estratégia, que pretende dar uma segunda vida aos equipamentos que, anteriormente, seriam rejeitados, envolvendo a comunidade e capacitando-a para as opções na gestão dos REEE.

Assim nasceu a rede CREW - Centros de Recuperação de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos, que funcionam como espaços de formação e capacitação, que promovem a recuperação de REEE, integrados num projeto com a missão de religar a Sociedade ao legado da reparação de REEE, pela partilha de conhecimento e experiência, envolvendo a comunidade na circularidade e sustentabilidade. Ao abrigo deste projeto, são também disponibilizadas diversas iniciativas para diferentes públicos alvo, alertando para esta problemática e dando a conhecer as opções existentes.

Mais do que nunca, o Cidadão é chamado a "reparar o mundo” e participar com a LIPOR neste processo.