14 Jun

Sustentabilidade Dentro de Portas no Município de Gondomar

Reabilitação e Valorização da ribeira da Archeira e dos rios Tinto, Torto e Ferreira no Município de Gondomar.

Garantimos um futuro mais sustentável e inclusivo e, com compromisso, o Município de Gondomar abraça a sustentabilidade. Partilhamos o que de melhor se faz pela Sustentabilidade dentro de Portas! 

Os rios representam um ecossistema rico e biodiverso que urge preservar.
O Município de Gondomar viu aprovado um apoio financeiro de cerca de 246 mil euros, no âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social (PEES), aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 41/2020, de 6 de junho, para a reabilitação hidrográfica e valorização da ribeira da Archeira e dos rios Tinto, Torto e Ferreira, mediante protocolo assinado com a Agência Portuguesa de Ambiente (APA).

O Projeto de execução, elaborado pela empresa Engenho e Rio Unipessoal, Lda, incidiu na reabilitação e valorização dos troços finais da ribeira da Archeira (extensão aproximada de 1.5km), do rio Torto (extensão aproximada de 4.3km), troço do Rio Ferreira (extensão de 1 Km) e no rio Tinto, no troço da Granja e Lourinha (extensão aproximada de 0.6km), totalizando uma extensão de intervenção de 7.4 km, atravessando essencialmente zonas agrícolas e florestais e pontuada na área urbana, nomeadamente em Rio Tinto.

As medidas de conservação e reabilitação da rede hidrográfica e zonas ribeirinhas implementadas, visaram dar cumprimento às diretrizes da Lei da Água e pretenderam contribuir para a implementação da Diretiva Quadro da Água, na medida em que visa obter o bom estado das respetivas massas de água superficiais e contribui para a implementação da Estratégia de Biodiversidade da União Europeia para 2030. As soluções implementadas visaram mitigar o impacto das alterações climáticas, no que concerne a cheias e inundações e promoveram o aumento da resiliência dos ecossistemas fluviais, recuperando a galeria ripícola com plantação de árvores nativas e criando refúgios para a fauna, estabelecendo um continuum naturale no corredor ecológico.

Especificamente, as intervenções incidiram na consolidação dos taludes e margens em pontos de erosão, com aplicação de Técnicas de Engenharia Natural, corte de formação da vegetação autóctone, contenção de espécies exóticas e invasoras, limpeza de passagens hidráulicas, criação de charcos, restauro de açudes e construção de escada de peixes (nos rios Torto e Ferreira) e valorização do ecossistema ribeirinho, através da plantação de cerca de 3400 árvores e arbustos nativos (ex. amieiro); Salix atrocinerea (borrazeira-preta); Fraxinus augustifolia subsp. Angustifolia (freixo comum); Ilex aquifolium (azevinho); Laurus nobilis (loureiro); Arbutus unedo (medronheiro); Quercus robur (carvalho alvarinho); Quercus suber (sobreiro); Ulmus minor (Ulmeiro).

No âmbito do processo de participação pública do projeto, e com a colaboração da Lipor, contamos a 25 de novembro de 2021, com o apoio de cerca de 50 estudantes do Instituto Politécnico do Porto, que com grande entusiasmo vieram ajudar a plantar as árvores nativas no rio Torto e na ribeira da Archeira.

O projeto ficou concluído no 1º trimestre de 2022.


Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi