Notas Metodológicas

a a a

Foi utilizado o quadro metodológico estabelecido pelo The Greenhouse Gas Protocol (GHG Protocol), desenvolvido pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) em colaboração com o World Resources Institute (WRI).

Os cálculos consideraram os três principais gases com efeito de estufa abrangidos pelo Protocolo de Quioto: dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e óxido nitroso (N2O). Todos os resultados são apresentados em dióxido de carbono equivalente (CO2e), utilizando os valores de Potencial de Aquecimento Global (PAG) definidos pelo Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) na versão utilizada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para efeitos do Inventário Nacional de Gases com Efeito de Estufa (NIR PT). Os fatores de emissão têm por base os valores definidos pelo IPCC, ajustados, sempre que necessário, à realidade Portuguesa, com base em dados publicados por entidades oficiais nacionais (Agência Portuguesa do Ambiente, Direção Geral de Energia e Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos). Para o transporte aéreo internacional foram utilizados fatores de emissão representativos do tráfego internacional, publicados anualmente pelo UK Department for Environment Food and Rural Affairs (DEFRA).

As metodologias de cálculo de emissões de GEE associados às atividades de gestão de resíduos constam do documento de referência publicado pelo Instituto do Ambiente (NIR – National Inventory Report).

Indicador 305-1

No que diz respeito às emissões diretas, foram contabilizadas as emissões associadas às atividades de gestão de resíduos, à combustão fixa (equipamentos) e móvel de combustível (máquinas móveis e veículos frota Lipor).

Deposição de resíduos no solo (Confinamento técnico): Para a estimativa das emissões de metano (CH4) foi empregue o método FOD (First Order Decay), que considera as emissões totais associadas à deposição de resíduos no solo desde 1982.

Valorização energética: As emissões de CO2 foram estimadas por aplicação da metodologia de cálculo das frações de carbono fóssil. As emissões de CH4 e N2O foram estimadas por aplicação direta de fatores de emissão.

Valorização orgânica (Compostagem): O cálculo das emissões de GEE baseia-se nas Guidelines do IPCC que incluem as emissões fugitivas de CH4 e N2O associadas aos tratamentos biológicos de resíduos. São empregues os "default values” do IPCC.

Combustão fixa: São contabilizadas as emissões diretas resultantes da combustão fóssil em equipamentos fixos existentes nas instalações Lipor. A quantificação tem por base a quantidade de combustível consumida e os fatores de emissão definidos no NIR para a combustão fixa nos setores comercial, residencial e serviços.

Combustão móvel: São contabilizadas as emissões diretas resultantes da combustão fóssil em veículos com motor de combustão interna. A quantificação tem por base as quantidades consumidas e os fatores de emissão definidos no NIR, para cada combustível. No caso do transporte rodoviário os fatores de emissão consideram a taxa nacional de incorporação de biocombustíveis.

Indicador 305-2

As emissões indiretas de âmbito 2 correspondem às emissões indiretas associadas à produção da eletricidade consumida nas instalações Lipor. A quantificação tem por base a quantidade de energia elétrica consumida e fatores de emissão disponibilizados por cada comercializador no âmbito da rotulagem de energia elétrica (Market Based). Adicionalmente são também calculadas as emissões Location Based, com base no fator de emissão reportado pela Agência Internacional de Energia (IEA) para Portugal.

Indicador 305-3

Desde 2013 que a LIPOR passou a aplicar, de forma faseada, o GHG Protocol - Corporate Value Chain (Scope 3) Accounting and Reporting Standard. Atualmente o âmbito 3 abrange as categorias: C.01 Bens e serviços adquiridos; C.02 Ativos adquiridos; C.03 Energia e combustíveis; C.04 Transporte (montante); C.05 Resíduos e AR; C.0 6 Deslocações em serviço; C.07 Mobilidade pendular; C.09 Transporte (a jusante); C.10 Processamento de produtos intermédios; C.11 Utilização de bens e serviços

C.01 Bens e serviços adquiridos

Esta categoria inclui as emissões indiretas associadas à produção de bens e serviços adquiridos para utilização nas atividades Lipor. Na óbvia dificuldade de solicitar informação diretamente a produtores e/ou fornecedores, optou-se por calcular emissões de ciclo de vida (cradle-to-gate) de acordo com EPD (Environmental Product Declaration) disponíveis [www.environdec.com]. Foram incluídos: i) Serviços de abastecimento de água, ii) Serviços de limpeza e, iii) Consumo de papel.

C.02 Ativos adquiridos (bens de imobilizado)

Esta categoria inclui as emissões indiretas associadas à produção dos bens de imobilizado adquiridos pela Lipor (instalações, viaturas, máquinas e equipamentos, equipamentos de suporte). Seguiu a mesma abordagem da C.01, consideram-se bens de: i) Mobiliário, ii) Computadores, portáteis e monitores (informática) e, iii) Contentores RU, Ecopontos e Compostadores.

C.03 - Energia e combustíveis

Extração, processamento e transporte de combustíveis

Esta categoria implica a determinação das emissões de ciclo de vida da energia/combustíveis a montante do consumo, designado internacionalmente por "upstream lifecycle emissions”. Neste contexto, para a determinação de fatores de emissão implícitos - e comparáveis – das atividades de "upstream lifecycle” de combustíveis foi usada informação de base de nível Europeu, nomeadamente da Agencia Europeia do Ambiente (EEA)[1].

Transporte e distribuição da eletricidade consumida

Foram determinados fatores de emissão implícitos associados ao transporte (atividade concessionada à REN) e distribuição (atividade concessionada à EDP Distribuição) de eletricidade. A quantificação de emissões teve por base a eletricidade consumida pela Lipor (A2) e os respetivos fatores de emissão.

C.04 - Transporte (montante): Recolha e transporte, pelas frotas dos municípios, dos resíduos tratados na Lipor

Foram contabilizadas as emissões diretas resultantes da combustão de combustíveis fósseis em veículos com motor de combustão interna (gasóleo e gás natural). Os dados de atividade respeitam aos serviços de recolha e transporte dos municípios e/ou concessionados pelos municípios a terceiros. A quantificação teve por base os consumos de combustível (fornecidas em volume e/ou energia) e o fator de emissão definido no NIR para veículos rodoviários pesados.

C.05 Resíduos e Águas Residuais

Esta categoria inclui as emissões indiretas associadas ao tratamento, em instalações de terceiros, de resíduos e águas residuais. A sua determinação baseia-se na quantificação dos consumos de água e na aplicação de fatores de emissão implícitos reportados por entidades gestoras (e.g. Grupo ADP).

C.06 - Deslocações em serviço: Deslocações em serviço de colaboradores efetuadas em veículos de terceiros.

Transporte ferroviário de passageiros: Foram contabilizadas as emissões diretas e indiretas associadas à energia consumida na tração. A quantificação teve por base as distâncias percorridas (fornecidas em pkm) e o fator de emissão médio publicado pela CP e Metro do Porto.

Transporte aéreo de passageiros: Foram contabilizadas as emissões diretas da combustão de combustível, durante os trajetos efetuados. A quantificação teve por base as distâncias percorridas (fornecidas em pkm e afetadas de fator de correção para rotas não lineares e sobrevoo de espera para aterragens) e fatores de emissão representativos do trafego aéreo internacional (DEFRA), considerando as taxas de ocupação médias e as aeronaves representativas de cada tipologia de percurso (curta, média e longa distância). As emissões de GEE que ocorrem em altitude (medidas em CO2e) foram afetadas do Índice de Força Radiativa.

Transporte rodoviário de passageiros: Foram contabilizadas as emissões diretas resultantes da combustão de combustíveis fósseis em veículos com motor de combustão interna. A quantificação teve por base as distâncias percorridas (fornecidas em vkm) e os fatores de emissão definidos no NIR, para ligeiros de passageiros e pesados.

C.07 - Mobilidade pendular: Deslocações casa-trabalho-casa de colaboradores da Lipor

Foram contabilizadas as emissões diretas resultantes da combustão de combustíveis fósseis resultantes dos movimentos pendulares (casa-trabalho-casa) dos funcionários e colaboradores Lipor (incluindo empresas subcontratadas que prestam serviços em Baguim do Monte e Maia, desde que não sejam efetuadas em veículos da empresa ou pagos pela empresa. A contabilização desta categoria tem por base um inquérito geral à mobilidade pendular para o universo dos funcionários e colaboradores da Lipor I (Baguim do Monte) e Lipor II (Maia). A quantificação teve por base as distâncias percorridas (fornecidas em vkm e/ou pkm) e fatores de emissão definidos no NIR, para os respetivos modos de transporte.

C.09 - Transporte (a jusante): Transporte de Recicláveis, Nutrimais, Escórias e Sucatas

Foram contabilizadas as emissões diretas resultantes da combustão de combustíveis fósseis em veículos com motor de combustão interna operados por terceiros. A quantificação teve por base as distâncias percorridas (fornecidas em vkm) e o fator de emissão definido no NIR, para veículos rodoviários pesados.

C.10 - Processamento de produtos intermédios: Reciclagem, em instalações de recicladores das diferentes fieiras

Esta categoria inclui emissões a jusante (downstream emissions), associadas ao processamento de produtos intermédios. Os dados de atividade correspondem aos quantitativos de recicláveis efetivamente transportados para retomadores e/ou recicladores (dados obtidos a partir dos níveis de atividade da Categoria C.09 – Transporte a jusante). Os fatores de emissão, associados à fase de reciclagem do ciclo de vida, foram obtidos através de estudos de referência a nível Europeu[2] e Nacional[3].

C.11 Utilização de bens e serviços: Utilização de composto Nutrimais

Foram contabilizadas as emissões diretas (aplicação do composto) e indiretas (volatização e lixiviação) resultantes da utilização do Composto Nutrimais na agricultura. Neste contexto foi utilizada a metodologia, e respetivos fatores de emissão, do NIR relativa à aplicação de fertilizantes orgânicos (CRF 3D Agricultural soils – N2O emissions: direct and indirect). A metodologia teve em consideração os dados de composição específicos do composto Nutrimais, especificamente os teores de humidade e azoto, fornecidos pela Lipor.



[1] The European Topic Centre on Air and Climate Change (ETC/ACC) Technical Paper 2009/18: Life Cycle Analysis of GHG and Air Pollutant Emissions from Renewable and Conventional Electricity, Heating, and Transport Fuel Options in the EU until 2030 - European Environment Agency (EEA) / Öko-Institut e.V..

[2] Waste Management Options and Climate Change, Final Report to the European Commission, DG Ambiente – 2001.

[3] Impacto das opções e oportunidades de gestão de resíduos na mitigação de gases com efeito de estufa em Portugal, INR – 2006.


voltar
Locais de deposição
Encontre o local mais perto de si para depositar seus resíduos.
Ecopontos
Ecocentros