Agricultura Biológica

Somos pela valorização do que é natural.

Valorizamos a Agricultura Biológica por ser um sistema agrícola que fornece ao cidadão alimentos frescos, saborosos e autênticos, enquanto respeita os ciclos de vida naturais do solo e dos ecossistemas.
 
A Agricultura Biológica baseia-se numa série de princípios e práticas comuns tais como: a rotação das culturas, a não utilização de fertilizantes químicos sintéticos nem pesticidas de síntese, ao aproveitamento de recursos naturais e à preservação de todo o meio envolvente.

Em suma, o objetivo é utilizar as lições aprendidas da natureza e dos processos biológicos, recorrendo às relações e à atividade dos diferentes seres vivos (bactérias, fungos, insetos, homem, etc.). Este processo tem como principais vantagens:
  • promoção e desenvolvimento dos ciclos biológicos, dentro de um sistema de produção, mantendo a fertilidade do solo a longo prazo;
  • contribuição para a correta utilização da água e do solo, melhorando o ecossistema local e aumentando a biodiversidade.

Aprenda connosco a fazer Agricultura Biológica

A Agricultura Biológica é um processo complexo e que tem muitas variáveis. No entanto, deixamos aqui alguma informação básica que o pode ajudar a ter sucesso no arranque e manutenção da sua horta biológica. Assim, tenha em atenção os seguintes passos:

1º Preparação do solo

Antes de dar início à horta, avalie a necessidade de preparar o terreno para o cultivo. Esta etapa deverá iniciar-se, preferencialmente, com a seleção do local e a análise do solo. Os solos de Portugal são, por norma, deficitários em matéria orgânica, pelo que se recomenda a aplicação de composto caseiro ou o NUTRIMAIS, permitindo, assim, melhorar as características do seu solo (porosidade, drenagem e fertilidade). O local deverá ser o mais plano possível e estar exposto ao sol ao longo do dia. O solo deverá ser bem drenado e deve ter-se em atenção as infestantes existentes no local.

Planear a horta

O planeamento é essencial, pelo que devemos projetar quer o espaço a cultivar, quer o espaço para manutenção (caminhos, rega,…). Faça um esquema prévio e não se esqueça de planear uma área de horta conforme a sua disponibilidade de meios e tempo. É importante planear a sua horta recorrendo a variedades regionais já que estas garantem uma melhor adaptação ao local onde está implantada a sua horta.

3º Multiplicação

Antes da sementeira/plantação, devemos ter em conta a escolha das culturas que queremos colocar na horta. Não esquecer que as culturas disponíveis variam de acordo com a altura do ano em que nos encontramos. As plantas podem ser multiplicadas por métodos diferentes:
  • Multiplicação sexuada – sementeira (alfobre, tabuleiros de germinação); ou
  • Multiplicação assexuada – estacaria, alporquia, mergulhia, divisão de pé.

4º Manutenção

A manutenção da horta é fundamental. Nesta fase deve proceder-se à monda (limpeza das ervas daninhas) pois entram em competição com as culturas instaladas, retirando os nutrientes e a água às culturas principais. A sacha consiste no revolvimento do solo para favorecer o arejamento. Estas operações deverão ser feitas antes da rega.

Colheita e armazenamento

Colher hortícolas no seu ponto ideal de maturação exige vigilância, sentidos apurados e um julgamento perfeito. O sabor e a textura dos vegetais cultivados na horta são muito mais ricos, não sendo comparáveis com os vegetais adquiridos nos espaços comerciais. O armazenamento dos produtos pode ser feito de várias formas e consoante o vegetal em questão. No entanto, lembre-se que todo o armazenamento implica perda nutritiva e de sabor.